Dê Um Up Em Seu Corretor Ortográfico!

Corretores ortográficos têm sido muito úteis para nos salvar de situações embaraçosas com erros de gramática, de ortografia, ou meramente de digitação (chamados “typos”, em inglês), tanto em nossa língua nativa quanto em uma língua estrangeira que usamos para trabalhar, como o inglês.

18ixmjpbtg4nhjpg

Todos nós sabemos que somos julgados pela forma que nos expressamos. Por isso, especialmente no campo profissional, evitar erros desta natureza é fundamental para construirmos uma imagem de credibilidade e competência.

Você não iria querer fazer negócios com alguém que diga “me manda o documento pra mim dar uma olhada e eu vou estar te retornando em breve”, né?

Atualmente, existem serviços que oferecem funcionalidades adicionais de revisão de textos, além do básico do corretor ortográfico do Word. Um deles é o Grammarly.com, que pode ser usado no navegador ou através de um plug-in do pacote Office e uma extensão do Chrome, te ajudando assim a estar sempre de olho na qualidade de sua escrita.

O Grammarly não só identifica erros gramaticais, como também dá sugestões sobre o vocabulário, organização e estrutura utilizados em suas composições, para que você melhore a clareza e eficiência em sua comunicação. Além disso, ele avisa sobre palavras que possam ter sido confundidas, como “manly” e “mainly“, que, ainda que ambas corretas, tenham sentidos bem diferentes (clique nelas para ver suas definições).

Você também recebe um relatório mensal por email sobre a qualidade de sua produção escrita, comparando a quantidade de erros cometidos com a dos outros usuários.

Eu tive a oportunidade de utilizar o serviço por um tempo e achei bem interessante. Realmente é uma boa ajuda extra para melhorar nossa redação e nos fazer atentar a pontos mais específicos da comunicação escrita em inglês.

Como o serviço não é especificamente voltado para aprendizes da língua inglesa, muito menos aprendizes brasileiros, há alguns padrões de erros ou estruturação da língua que nós geralmente cometemos e utilizamos que não são identificados. Este seria um ponto importante a aprimorar no sistema para que seja ainda mais útil como uma ferramenta auxiliar de aprendizado para os alunos.

Você pode usar o Grammarly gratuitamente com algumas limitações ou pagar $29.95 dólares (plano mensal) para ter acesso a todas funcionalidades.

É um valor meio salgado para um usuário individual, como um estudante, mas pode ser mais viável para um grupo em uma empresa ou universidade. Além disso, o plano anual sai por quase um terço do valor, $11.66 por mês.

hyphen-man

Vale a pena fazer um teste e conhecer o serviço. É uma boa ferramenta para ajudar na redação de um email na correria do dia-a-dia, quando não der pra esperar até a próxima aula de inglês para tirar uma dúvida com o professor! XD

Visite o site do Grammarly.com e compartilhe suas impressões sobre o serviço nos comentários!

Cheers!

Commonly Confused Words

There are a number of verbs in English which are commonly confused, either because they are spelled similarly or because their meanings look almost annoyingly the same. The list of examples is vast, but I have selected three articles that discuss some important ones. Here they are:

Rise, Arise and Raise – They look the same, sound the same, but are not exactly used in the same way. And there is also Arouse, which unfortunately is not in the article – you should look it up in the dictionary! 🙂

Lay-down

Lay vs Lie – Again two very similar words, and again different meanings, and especially different collocations.

Set vs Sit – These two ones might seem inappropriately placed here, as you probably think they have nothing in common, right? If you really do, I suggest you start by this one! Hehe

Enjoy it!

Cheers,

Teacher Fabio

Portuguese:

Há um grande número de verbos em inglês que são comumente confundidos, tanto porque têm a grafia parecida quanto porque seus significados parecem irritantemente os mesmos. A lista de exemplos é vasta, mas eu selecionei três artigos que discutem alguns importantes. Aqui estão:

Rise, Arise and Raise – eles parecem os mesmos, têm a pronúncia parecida, mas não são usados exatamente do mesmo modo. E também tem o Arouse, que infelizmente não está no artigo – você deve procurá-lo no dicionário!

Lay vs Lie – Novamente duas palavras bem parecidas, e de novo significados diferentes, e especialmente colocações diferentes.

Set vs Sit – Estes dois podem parecer inapropriadamente colocados aqui, uma vez que você provavelmente pense que eles não têm nada em comum, certo? Se você realmente pensa isto, eu sugiro que comece por este aqui! Hehe

Everything You’ll Ever Need to Know About Language

Do you know all the idiosyncrasies of grammar in your native language?

By the way, do you know what idiosyncrasy means? Well, that’s another question, and a good dictionary – not GoogleTranslator! – should help you out there.

The point here is – let’s be honest – only very few people are good at using grammar fully and properly. However, making a grammar mistake can be a big shame, especially because there is always someone to point the finger at you and tease about your grammatical sin. But is there really anyone who is in a position to behave as a grammar god and be so judgmental about others’ errors?

Honestly, I don’t think so. And luckily I’m not alone.

In the article Everything You’ll Ever Need to Know About Language, motivated by a visitor’s criticism on grammar mistakes that he had supposedly made in his website, the author gives a sound response that fits all grammar snobs and also clarifies the role of grammar to all of those who are learning a new language or trying to improve their own.

Mastering grammar should certainly be a goal in any learning process, but it can’t be something that haunts you or makes you feel smaller.

Think about that, fellows!

Cheers,

Teacher Fabio

Portuguese:

Você conhece todas as idiossincrasias da gramática em sua língua nativa?

Falando nisso, você sabe o que idiossincrasia significa? Bem, esta é outra questão, e um bom dicionário – não o GoogleTranslator! – deve ajuda-lo com isto.

A questão aqui é – vamos ser honestos – apenas pouquíssimas pessoas são boas em usar gramática de forma completa e apropriadamente. Porém, cometer um erro de gramática pode ser uma grande vergonha, especialmente porque há sempre alguém para apontar o dedo para você e caçoar do seu pecado gramatical. Mas há realmente alguém que esteja em posição de comportar-se como um deus da gramática e ser tão crítico sobre os erros dos outros?

Honestamente, eu acho que não. E felizmente eu não estou sozinho.

No artigo Everything You’ll Ever Need to Know About Language, motivado pelas críticas de um visitante sobre erros gramaticais que ele supostamente havia cometido em seu site, o autor dá um forte resposta que serve para qualquer esnobe gramatical e também esclarece o papel da gramática para todos aqueles que estão aprendendo uma nova língua ou tentando melhor sua própria.

Aprimorar a gramática certamente deve ser um objetivo em qualquer processo de aprendizagem, mas isto não pode ser algo que assombre você ou o faça sentir-se menor. Pensem nisso, pessoal!

How to Be a Grammar Nazi

If you are one of those people who love pointing at others’ language mistakes, you are likely to be called a grammar nazi by friends and co-workers. You know, intolerance marked profoundly the history of German, and such harsh approach seems to be appealing to some people when it comes to grammar and language over here as well. But be careful; nazis are not usually welcomed, no matter what issue they are intolerant to.

_

Even if your intentions are good, you should be careful not to put the grammar sinner into a vexatious situation, and in order to do that maybe you should follow some tips to make sure you manage to wipe out the impure language gently.

The article How to Be a Grammar Nazi, shows you the way to get to a position where you’ll be able to view language and grammar in detail, and, also, how to reveal and correct others’ erros without making them get angry at you.

Hail grammar!

Cheers,

Teacher Fabio

Portuguese:

Se você uma daquelas pessoas que adora apontar os erros de gramática dos outros, você pode ser chamado de nazista gramatical pelos seus amigos e colegas de trabalho. Você sabe, a intolerância marcou profundamente a história da Alemanha, e tal postura dolorosa parece ser atraente à algumas pessoas quando se trata de gramática e língua por aqui da mesma forma. Mas tome cuidado; nazistas não são bem-vindos geralmente, não importa a qual questão sejam intolerantes

Mesmo que suas intenções sejam boas, você deve tomar cuidado para não colocar o pecador gramatical em uma situação vexaminosa, e para fazer isso talvez você deva seguir algumas dicas para garantir que você consiga limpar a língua impura gentilmente.

O artigo How to Be a Grammar Nazi, mostra a você o caminho para chegar a uma posição na qual você será capaz de ver a língua e a gramática em detalhes, e, também, como revelar e corrigir os erros dos outros se deixa-los com raiva de você.

Salve a gramática!

What is parallel structure?

There is a parallel structure mistake in Portuguese that drives me nuts every time I see it: “Compra, Venda, Troca, Financia”! I know that this is so common that you might even be unable to spot an error there. Well, I do hope you can see it; that would make me extremely happy. However, if you can’t, no worries. “Liv’n ‘n Learning!”, as we say! The correct would be “Compra, Venda, Troca, Finaciamento”.

Parallel structure is a grammar rule that determines that once you start a sentence in a certain verb tense or pattern, you should stick to that till the end of it. In English, for example, if you say: “Mary likes hiking, swimming, and to ride a bicycle”, there is something wrong, because not all the verbs show the same pattern introduced by the use of “like”, which is usually followed by the gerund form. You should actually say “Mary likes hiking, swimming, and riding a bicycle”.

In the articles What is Parallel Structure? and Parallel Structure (Purdue Online Writing Lab) you can find a definition in details and more examples to help you clarify this issue. Paying attention to such mistakes is not only important so as to make use of proper English, but also to prevent misunderstandings that can be caused as a result of wrong parallel structures.

Enjoy it!

Cheers,

Teacher Fabio

Há um erro de estrutura paralela em Português que me deixa louco sempre que o vejo: “Compra, Venda, Troca, Financia”! Eu sei que isto é tão comum que você pode até ser incapaz de identificar um erro nela. Bem, eu espero que você possa vê-lo, isto me deixaria extremamente feliz. Porém, se você não consegue, sem problema.  “Vivendo e aprendendo”, com dizemos! A forma correta seria “Compra, Venda, Troca, Financiamento”.

Estrutura paralela é uma regra gramatical que determina que uma vez que você comece uma sentença em um certo tempo ou padrão verbal, você deve ater-se a ele até o final dela. Em inglês, por exemplo, se você diz: “Mary likes hiking, swimming, and to ride a bicycle”, há algo errado, porque nem todos os verbos mostrar o mesmo padrão introduzido pelo uso do “like”, que geralmente é seguido de gerúndio. Você deveria na verdade dizer “Mary likes hiking, swimming, and riding a bicycle”.

Nos artigos What is Parallel Structure e Parallel Structure (Purdue Online Writing Lab) você pode encontrar uma definição em detalhes e mais exemplos para ajuda-lo a esclarecer esta questão. Prestar atenção a tais erros é importante não somente para se fazer o uso correto da língua inglesa, mas também para evitar mal entendimentos que podem ser causados como resultado de estruturas paralelas errôneas.