Tradução Literal: o oitavo pecado capital?

A questão da tradução é quase como um tabu para alguns professores e alunos. Muitos repetem insanamente aos seus pupilos “jamais roubarás! jamais matarás! jamais traduzirás!”, e os coitados remoem-se por dentro tentando descobrir como darão sentido a tantas novas palavras sem utilizarem-se da tradução. Mas, afinal de contas, a tradução é ou não é uma boa alternativa no processo de aprendizagem?

Bem, esta não é uma pergunta fácil de responder, porque, ao contrário do que alguns alunos possam imaginar no início dos seus estudos, a língua inglesa não é uma versão espelhada da nossa, somente com algumas palavras mais complicadas e um sotaque afetado. As línguas são formadas e moldadas de formas diferentes e influenciadas por fatores culturais e sociais de cada grupo de seus falantes. Isto significa que uma língua não é somente uma expressão verbal diferenciada, é também uma forma de organização de ideias e de conceitos que varia de um lugar para o outro.

Por isso, a tradução literal deve ser usada com parcimônia. Ela pode até ser útil durante os primeiros passos no contato com uma nova língua, mas, gradativamente, deve-se optar mais pelo entendimento da definição dos termos e suas aplicações. E, quando não houver como fugir da tradução, o melhor é tentar fazer uma “versão”, ou “paráfrase”, porque nestes casos o que ocorre é uma adaptação do conteúdo traduzido, respeitando as diferenças culturais e conceituais de cada língua. Caso contrário, podem ser geradas frases absurdas, sem sentido, ou muito engraçadas; como as obtidas através dos tradutores eletrônicos, por exemplo.

Outro bom exemplo, são os nomes de filmes e letras de músicas, que, se traduzidos literalmente, geralmente ficam bem estranhos; não é mesmo? Nos links abaixo vocês encontrarão algumas fontes bacanas sobre esse assunto. Excepcionalmente, alguns dos links são de fontes em português, mas há um muito bom em inglês no final da lista. Leiam! E não traduzam! Rs

1) Traduções de Títulos de Filmes: Literal ou Adaptação
2) Tradução ou Versão em Músicas
3) Tradução e Versão – Educação Pública
4) Linguistic and Cultura Issues in the Literary Translation

Cheers,

Teacher Fabio

One thought on “Tradução Literal: o oitavo pecado capital?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s